MOVIMENTO

Judiciário lança campanha contra feminicídio

A ação Tod@s por elas tem o objetivo de combater a cultura machista, a violência de gênero e chegar a ambientes tidos como predominantemente masculinos
Da redação / Publicado em 26 de novembro de 2019

Foto: divulgação

Material desenvolvido especialmente para a campanha

Foto: divulgação

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) lançará nesta quinta-feira, 28 de novembro, a campanha Tod@s por elas. Em parceria com Federação Gaúcha de Artes Marciais Mistas (Fegamm), a ação tem o objetivo de combater a cultura machista, a violência de gênero e chegar a ambientes tidos como predominantemente masculinos.

Atletas de artes marciais mistas como jiu-jitsu, boxe, muai thay, entre outras, estrelam as peças de divulgação. São eles que levarão aos seus ambientes a mensagem de que, mais do que unir forças para combater de forma efetiva a violência contra a mulher, é preciso desconstituir a cultura do machismo. “Achei muito importante a campanha. Estamos vendo o que está acontecendo, o grande número de mulheres espancadas, violentadas e assassinadas, e não podemos considerar que isso é normal”, afirma Fernando Cantes, o Mestre Pelé, lutador de boxe e de jiu-jitsu e presidente da Fegamm.

Para a coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJRS, Gioconda Fianco Pitt, o objetivo principal da campanha é combater a violência doméstica. “Tivemos um aumento no número de feminicídios esse ano. Infelizmente são números que cada vez aumentam mais”, explica. Ela relata ainda que foram escolhidos lutadores de artes marciais pois, apesar de ser uma arte de força, não incentiva a violência.

De acordo com dados do Atlas da Violência, a média é de 13 mulheres assassinadas no Brasil por dia, o que faz a taxa de feminicídios do Brasil ser a quinta maior no mundo. Ciúmes, sentimento de posse e inconformidade com a separação figuram entre os principais motivos desses crimes. “São homens falando para homens, acredito que este seja um apelo diferente e que vá dar muito resultado”, afirma Paulo Ricardo Bandeira da Silveira, 35 anos, supervisor de merchandising e lutador de jiu-jitsu, sobre a campanha.

Dados, telefones úteis além de material de divulgação da campanha podem ser acessados no site desenvolvido pelo TJ para a ação.

Comentários

Siga-nos