JUSTIÇA

Família busca reparação por morte de Eduardo Fösch

Adolescente morreu em 2013, após sofrer agressões durante festa particular que reuniu 150 jovens em condomínio na zona Sul de Porto Alegre
Por Gilson Camargo / Publicado em 16 de maio de 2019
Júlio César e Jussara buscam reparação judicial pela morte do filho, Eduardo. Processo criminal está parado há um ano

Foto: Igor Sperotto

Júlio César e Jussara buscam reparação judicial pela morte do filho, Eduardo. Processo criminal está parado há um ano

Foto: Igor Sperotto

Enquanto o processo criminal sobre a morte de Eduardo Fösch permanece parado na 2ª Vara do Júri de Porto Alegre – a última audiência ocorreu em abril de 2018 –, na próxima segunda-feira, 20 de maio, serão ouvidas testemunhas em uma ação cível que foi ajuizada pela família do adolescente em 2014 e que busca reparação por danos morais e materiais, além do pensionamento dos pais da vítima.

Na ação que tramita no Foro Regional da Tristeza, os bancários Jussara Fösch e Júlio César Rodrigues, pais do adolescente, responsabilizam o arquiteto José Antônio Jacovas e a mulher dele, Simone Schimitz, donos da casa onde foi realizada a festa, por negligência, devido ao consumo liberado de bebidas alcoólicas sem supervisão. Na ação, também foi arrolado o Condomínio Jardim do Sol.

Na contestação, Jacovas argumentou que não há provas da responsabilidade dele pela morte de Eduardo. Além da reparação por dano moral a ser arbitrada pelo juiz, os pais do adolescente pleitearam compensação material no valor de R$ 8 mil e pagamento de pensão para o casal com base na jurisprudência sobre morte de filho menor de idade.

Comentários